LETRA – O

GLOSSÁRIO DE CRÉDITO/FINANCEIRO

LETRA O

Obrigações com warrant

Obrigações que têm associado um direito (warrant) que confere ao seu detentor a opção de compra de acções do emitente, em condições e num período previamente determinados. O warrant constitui um valor mobiliário, podendo ser transaccionado em mercados organizados de uma forma independente das obrigações que lhe deram origem.

Obrigações de caixa

As obrigações de caixa são valores mobiliários emitidos por instituições de crédito, que incorporam a obrigação de a entidade emitente pagar ao seu titular uma certa importância, em prazo não inferior a dois anos, e os correspondentes juros.

Obrigações de capitalização automática

Obrigações que vencem juros objecto de capitalização.

Obrigações de cupão zero

Obrigações emitidas a desconto não vencendo, por isso, juros periódicos. O rendimento gerado pela obrigação corresponde à diferença entre o preço de transacção e o respectivo valor nominal.

Obrigações subordinadas

Títulos de dívida abrangidos por uma cláusula de subordinação, i.e., no caso de falência da entidade emissora, apenas são reembolsados após os demais credores por dívida não subordinada. As obrigações subordinadas, enquanto contratos que formalizam empréstimos subordinados concedidos a instituições sujeitas à supervisão do Banco de Portugal, devem ser sujeitas à sua aprovação, para além de respeitar as condições definidas no Aviso nº 12/92, publicado no Diário da República, II série, de 29 de Dezembro de 1992, e demais legislação aplicável em vigor. Incluem-se, designadamente, as obrigações de caixa subordinadas e demais instrumentos similares, negociáveis e habitualmente negociados, emitidos em mercados estrangeiros.

Obrigações titularizadas

Obrigações emitidas por sociedades de titularização de créditos.

OCDE

Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económicos. Criada em 1960 e integrando actualmente 30 países membros, a OCDE constitui um fórum importante de discussão das mais variadas questões relacionadas com políticas económicas e sociais. Além do seu importante trabalho na área das estatísticas, a OCDE acompanha também os principais desenvolvimentos económicos e sociais a nível internacional e nos países membros e principais países parceiros.

Off-’line

É o contrário de “on-line”. Ver On-line.

OIFAF – Outros Intermediários Financeiros dos Auxiliares Financeiros

Os OIFAF incluem: OIF: Os Outros Intermediários Financeiros são instituições cuja actividade consiste na aquisição de activos e de passivos através de operações financeiras no mercado. Um intermediário financeiro não é um simples agente, uma vez que suporta ele próprio o risco ao adquirir activos financeiros e contrair dívidas por sua própria conta. Os principais tipos de entidades incluídas nesta categoria são fundos de investimento, sociedades e fundos de titularização de créditos, sociedades gestoras de participações sociais do Sector Financeiro, instituições financeiras de crédito (IFIC), sociedades de factoring, sociedades financeiras para aquisições a crédito e sociedades de locação financeira. AF – Os Auxiliares Financeiros são sociedades e quase sociedades financeiras, cuja função principal consiste em exercer actividades financeiras auxiliares, isto é actividades estreitamente ligadas à intermediação financeira, mas que não constituem elas mesmas intermediação financeira. Os Auxiliares Financeiros não se expõem eles próprios a riscos aquando da aquisição de activos e contratação de passivos. Estão incluídos nesta categoria, entre outros, as sociedades gestoras de fundos de investimento, as sociedades gestoras de patrimónios, as sociedades corretoras, os auxiliares de seguros, as sociedades gestoras de fundos de pensões e as agências de câmbios.

OIFM – Outras Instituições Financeiras Monetárias

O subsector das outras instituições financeiras monetárias abrange todas as sociedades e quase-sociedades financeiras, com exclusão das que se classificam no subsector do Banco Central, que se dedicam principalmente à intermediação financeira e cuja actividade consiste em receber depósitos e/ou substitutos próximos de depósitos da parte de unidades institucionais que não as instituições financeiras monetárias, bem como a conceder créditos e/ou a efectuar investimentos mobiliários por conta própria.

On-’line

Nos sistemas de pagamentos indica a existência de uma ligação directa a um sistema informático centralizado para efeitos de autorização ou validação antes de executar uma transacção. Ver Off-line.

Opções

Um contrato de opção confere ao comprador o direito de adquirir ou vender (dependendo se é uma opção de compra ou de venda) um determinado activo ao vendedor a um determinado preço de exercício, num determinado momento do tempo, ou antes desse momento.

Operações de locação financeira (leasing)

Corresponde à cedência temporária do uso de um bem por parte do seu proprietário (o locador) a um terceiro (o utente ou locatário) mediante o pagamento de uma renda e reservando o direito de compra do bem, por um valor residual, no prazo e termos acordados.

Ordenante

Entidade com poder de movimentação de conta bancária que emite ordem de transferência por débito dessa conta e crédito em conta distinta.

Outras participações

Outros activos financeiros, que não acções ou unidades de participação, que representem direitos de propriedade sobre a entidade emitente. Incluem-se, nomeadamente: – Quotas; – Unidades de titularização. – Prestações suplementares. – Cauções com carácter de imobilização.

Fonte: Banco de Portugal

 

TV ONLINE