Taxa de juro implícita no crédito à habitação está a subir há 11 meses

Os dados do INE, relativos a Julho, mostram que a taxa de juro implícita ao crédito à habitação está a subir desde Setembro do ano passado. Por outro lado, os encargos mensais suportados pelas famílias com a casa manteve-se inalterado nos 260 euros.

A taxa de juro implícita ao crédito à habitação voltou a subir em Julho, ainda que ligeiramente. De acordo com os dados divulgados esta sexta-feira, 22 de Agosto, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em Julho, esta taxa fixou-se em 1,506%.

Em Junho, a taxa de juro implícita ao crédito à habitação situava-se nos 1,491%. Desde Setembro de 2013 que a taxa de juro implícita nos créditos à habitação está a subir, ou seja, há 11 meses consecutivos.

Nos contratos para aquisição de habitação, em Julho, a taxa de juro fixou-se em 1,520%.

Para os contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro implícita situou-se em 3,092%, o que revela um ligeiro acréscimo face a Junho, mês em que situou-se nos 3,087%.

Por outro lado, os encargos das famílias com o crédito à habitação, em Julho, mantiveram-se inalterados nos 260 euros. Desde Abril deste ano, que a prestação média vencida no crédito à habitação não sofre alterações.

O valor médio da prestação, para o conjunto dos contratos de crédito à habitação celebrados nos últimos três meses, fixou-se nos 331 euros, mais oito euros do que o valor observado no mês anterior. Nos contratos com destino a aquisição de habitação, o valor médio da prestação manteve-se, em Maio, nos 270 euros, o mesmo valor que no mês anterior.

 

Fonte: Negócios em 22/08/2014

Deixe o seu comentário

 

TV ONLINE